Seleção Televisual: Trilhas instrumentais

Não é só através de imagens que a abertura de uma novela conta a história da trama que vem a seguir. A música-tema também exerce grande poder para contar essa história, é ela que dará uma parte do tom do que iremos assistir.

Continue Lendo

Abertura: Ribeirão do Tempo.

A nova novela da Record traz uma história de época que envolve política e preservação ambiental em uma cidadezinha interiorana chamada Ribeirão do  Tempo, responsável por dar nome a trama. Para construção da abertura, foi utilizada uma ideia bastante interessante, mas nenhum pouco desconhecida. Fotos antigas são sobrepostas e organizadas em um ritmo de stop-motion de modo a formar uma animação e contar histórias. Referências claras ao famoso comercial The Pen Story, que também é inspirado em uma fascinante animação japonesa envolvendo um lobo e um porco.  No caso da abertura, o stop-motion é simulado e as movimentações de câmera parecem artificiais o que a deixa bem mais aquém de suas inspirações. E o fato dos vídeos serem extremamente conhecidos devido sua intensa disseminação na internet causa certa frustração para alguns, já que sugere inevitáveis comparações que nem ao menos são superadas. De qualquer forma, o material, bem como a a trilha sonora de Tom Zé são bem produzidas, com ressalva mais uma vez à assinatura que parece um pouco desconexa com a linguagem do restante do vídeo.

>>> Ficha Técnica

Ano: 2010

Canal: Rede Record

Som: “Pique do Tempo”, por Tom Zé

>>> Postado por André Luiz Sens

Abertura: Vende-se um Véu de Noiva.

título abertura vende-se um véu de noiva

Semana passada estreou no SBT a novela Vende um Véu de Noiva, baseada na obra original de Janete Clair e escrita pela Íris Abravanel. O nome da trama está relacionado a venda de um véu de noiva pela internet por parte da protagonista Eliana, cujo casamento não aconteceu por causa de um acidente de carro em que o casal se envolveu e resultou na morte do noivo.  Além disso, outro fato importante na novela é um assasinato ocorrido em um cativeiro localizado na “Ilha do Profeta” no litoral paulista. Esses dois momentos são inseridos na abertura da novela através de conexão surreal que, no final das contas, acabou se traduzindo em um trabalho que causa certa estranheza. Uma noiva tem seu véu levado pelo vento para o mar. Ela, então, dá um mergulho nesse mesmo mar e vê seu véu se transformando em uma água viva (?) juntamente a um tronco de árvore que vira um enorme peixe (?). Tudo isso fica ainda mais artificial com a presença de elementos tridimensionais computarizados com um acabamento limitado. Bom, partindo do SBT, não é de se estranhar esse tipo de abertura, vide seu histórico de vinhetas e aberturas.

Só uma observação: essa novela não é um remake da novela “Véu de Noiva”, transmitido pela Rede Globo em 1969, embora tenha sido escrita pela própria Janete Clair.

abertura vende-se um véu de noiva

>>> Ficha Técnica

Ano: 2009

Canal: SBT

Som:  Flávio Venturini (de Wander Peixoto)

Produção: Fernando Pelegio (Criação Visual do SBT)

>>> Postado por André Luiz Sens

Pílula Televisual: Abertura de A Indomada.

marca a indomada

A Indomada, novela de 1999 da Rede Globo, trazia uma trama com muito realismo fantástico que acontecia na fictícia cidade nordestina de Greenville, influenciada pela colonização inglesa e formada a partir da cultura da cana-de-açúcar. Em sua abertura, a “indomada” corre sobre uma terra árida, fugindo de uma plantação de cana que cresce em sua direção, enquanto que várias barreiras de ferro e concreto tentam impedí-la de ser “engolida” pelo verde.  Para fazer jus a alcunha, a mulher (que por curiosidade é interpretada pela atriz Maria Fernanda Cândido) se transforma em fogo, água e pedra para fugir desses obstáculos. Mesmo não fazendo muitas referências com a trama, exceto pelo surrealismo, o canavial e a trilha sonora (Maracatu, de Sérgio Mendes), o que mais impressiona são os efeitos tridimensionais integrados à modelo.

Postado por André Luiz Sens

Abertura: Roda de Fogo.

Em 1986 estreou na Rede Globo a novela Roda de Fogo (completamente diferente da versão da TV Tupi de 1978). A primeira vista, o nome da trama nem a abertura pareciam não ter uma relação direta com a novela. Mas após uma análise mais apurada, a novela discutia, através de temas como a corrupção e a busca pelo poder, a questão que ás vezes se corre altos riscos para conseguir o que se quer. E assim como a atração circense de mesmo nome, as letras que formavam a assinatura da novela se transformavam em rodas de fogo estilizadas pelas quais animais e o próprio homem a ultrapassavam. Porém havia um detalhe peculiar na transição pela roda que agregava muito mais simbolismo  à abertura Enquanto que os bichos “descongelavam” e ganhavam movimento e vida ao passar pelas chamas, o contrário acontecia com o ser humano.  Isso servia para demostrar como a frieza ou dureza podem dominar o homem para conseguir superar obstáculos e atingir os seus objetivos.

>>> Ficha Técnica

Ano: 1986

Canal: Rede Globo

Produção: Hans Donner e Videographics

Som:  “Pra Começar”, por Marina Lima

>>> Postado por André Luiz Sens

(atualizado em 13.05.2010)

Nerdcast e as aberturas das novelas dos anos 80.

Para quem ouviu o último Nerdcast, o podcast do blog Jovem Nerd, se divertiu com os comentários nostálgicos e divertidos sobre as novelas que fizeram sucesso nos anos 80. E um dos pontos mais discutidos foram as criativas aberturas de algumas delas criadas pelo designer Hans Donner, como Sassaricando, Selva de Pedra, Tieta e Sinhá Moça (primeira versão). Algumas delas, já foram comentadas aqui e outras serão providenciadas para os próximos posts. Por isso, aguardem!

Postado por André Luiz Sens

(Graças a Isadora e ao Jovem Nerd)

Abertura: Rainha da Sucata

Em 1990, a Rede Globo acompanhou o ritmo febre do momento e o levou a abertura de Rainha da Sucata. Nela, ao som de Sidney Magal, sucatas de um ferro-velho se juntavam formando uma divertida bailarina de lambada com cabeça de ventilador, pés de ferro de passar e cabelos de mola.

Continue Lendo

Pílula Televisual: Abertura de Metamorphoses.

A pílula de hoje é a abertura da novela da Rede Record: Metamorphoses (2001). Graças aos vultuosos investimentos da emissora, essa novela tentou trazer vários aspectos inovadores, como a resolução em HD (antes mesmo da tevê digital no Brasil) e a linearidade da trama, como se fosse um filme. Todo esse requinte cinematográfico refletiu também em sua abertura.  O formato wide (com as famosas tarjas pretas), os efeitos fractais empregados na personagem feminina e a movimentação da câmera deram ainda mais sofisticação e um ar de produção hollywoodiana.

Com um história cujo tema prinicipal é a cirurgia plástica, o conceito de metamorfose e beleza foram explorados por meio de vários símbolos, como a mulher, os cristais, além, é claro, da borboleta. Além disso, a novela também tratava do roubo de três jóias e o envolvimento da máfia japonesa. Por isso as inscrições tatuadas na mulher com traços nipônicos, a predominância das cores vermelha, preta e branca e o pingente dourado. Tudo isso ao som de “Olhar de mulher”, cantada por Leila Pinheiro.

Postado por André Luiz Sens.

  1. 1
  2. 2