Identidade Visual: Caso Globo, SIC e TMC.

título identidade visual sic tmc redeglobo

Em Televisionado, Fernando Morgado apontou a expansão comercial nacional e internacional das Organizações Globo, iniciada na década de 70 e estimulada pelo crescimento de sua rede, que aliás, não se restringiu somente no campo da comunicação e da televisão.

Porém, o sucesso da venda de seus programas para o exterior foi um dos principais incentivos que levaram a empresa de Roberto Marinho a tomar iniciativas mais ousadas no ramo televisivo.

marcas rede globo tmc sic

Uma delas foi a aquisição em 1985, juntamente com a RAI (tevê estatal italiana),  do sistema de transmissão para a Itália do canal de Mônaco, Tele Monte Carlo (TMC). Mas por uma série de fatores administrativos, comerciais e até políticos, a participação da TV Globo neste canal (agora denominado La 7) não existe mais.

E a outra foi em 1992 com a fundação da Sociedade Independente de Comunicação (SIC), o primeiro canal privado de televisão de Portugal. Depois de aprender com os erros e acertos cometidos na Itália, a Rede Globo ainda mantém uma participação nos negócios do canal português.

Em ambos os casos, devido ao grande conhecimento técnico e estratégico da Rede Globo, juntamente com o reconhecimento dos trabalhos (alguns pioneiros) do designer austríaco Hans Donner, aconteceu algo único em termos de design televisivo. Pela primeira vez, três canais de televisão apresentavam a mesma identidade visual. Com o consentimento da Rede Globo, coordenação de Donner e o envio de profissionais brasileiros a Europa, foram utilizados todos os elementos visuais empregados pela emissora carioca, como as vinhetas interprogramas e os videografismos brilhantes, metalizados e coloridos. A única diferença estava obviamente nas marcas, por se tratarem de nomes distintos. Mesmo assim, essa diferença era sutil. No caso da emissora italiana TMC, o símbolo era o mesmo, assim como o logotipo que apresentava a mesma tipografia. Já em relação ao canal SIC, a marca era mais diferenciada com um logotipo e símbolo integrados. As letras S e C se encontravam com a I, formando uma roda. Essa marca (também criada por Hans Donner), no entanto, apresentava uma linguagem cromática e formal muito semelhante ao da Globo.

Pode parecer um pouco estranho essa estratégia adotada já que, embora tenham a participação da empresa brasileira, esses canais europeus tinham características sócio-culturais visivelmente distintas. Mas em termos práticos, muito de sua programação era invadida pelos programas e administração da Globo. E assim como fez a Rede Globo com a identidade visual projetada por Donner, elas certamente tinham a necessidade de agregar modernidade e a inovação.

Já analisando em termos financeiros, a transposição do mesmo projeto gráfico se tornava mais viável, já que na época, a produção de vinhetas tridimensionais como aquelas, era caríssima. Para ser ter uma idéia, a maioria delas, como os tobogãs coloridos e o primeiro plim-plim, foi finalizada em Nova York, já que a Globo ainda não tinha condições de aquisição dos equipamentos.

Com o tempo, os projetos de identidade visual das emissoras portuguesa e italiana sofreram inevitáveis mudanças, recebendo novos reposicionamentos. Além de manterem uma obrigatória renovação,  havia uma necessidade adequação a um público culturalmente diferenciado ao brasileiro. Outra razão é evitar o conflito com a marca Rede Globo que tem um nome cada vez mais importante no mercado internacional.

vinheta sic 2008

O canal TMC, manteve o mesmo lettering no logotipo, mas o visual recebeu uma linguagem mais suave, bidimensional com interferências artísticas variadas. Já o canal SIC, manteve o brilho, a tridimensionalidade e o degradê, mas reduziu a papela cromática, conferindo mais limpeza visual, sofisticação e dinamismo. As novas vinhetas do canal SIC podem ser vistas no site da sua produtora, a Bloom Graphic.


>>> Postado por André Luiz Sens

>>> Contribuições: Televisionado

Veja também:

Comentários

  1. Meyre Ellen Lima Silveira nov 13, 2008 à 12:50 pm #

    Muita gente é contra a rede Globo e a família Marinho por ela ter “copiado” o modelo americano de TV (que na minha visão foi um investimento pra se tornar o é hoje), mas se formos parar para pensar, tudo hoje em dia é copiado do modelo americano ou europeu, como por exemplo, as marcas de produtos e roupas que são muito usados pelos brasileiros. Existem fábricas de produtos de outros países que são feitos no Brasil. Foi isso que a Globo fez, pegou o modelo americano e fez aqui, exatamente por já saber que os brasileiros, em sua maioria, gostam e muitas vezes valorizam mais o que vem de fora.
    No meu ponto de vista a Globo copiou sim, mas fez com classe e acertou nessa decisão, tanto que se tornou o modelo de TV que é hoje.
    Assim como a Globo pegou o modelo Time-Life para se solidificar ela também passou alguma coisa quando investiu com a cara e a coragem na SIC (Sociedade Independente de Comunicação) se expandindo e criando cada vez mais credibilidade.
    Não vejo a Globo como vilã, como muitos vêem, a vejo como inteligente e esperta por que se ela não tivesse investido nisso ou até mesmo copiado mais cedo ou mais tarde alguma outra rede de televisão teria feito no lugar dela.

  2. Rosângela Fontenele nov 16, 2008 à 8:34 pm #

    A Rede Globo de Televisão ainda pode ser considerada o referencial no que diz respeito a emissora de TV. Independentemente das críticas que ela vem recebendo nos últimos tempos e do crescimento de outras emissoras, a Rede Globo continua sendo a primeira em audiência em todo o Brasil. O grande investimento na época da sua criação favoreceu para que esta “empresa” brasileira se tornasse o que é hoje. O grande capital estrangeiro e o apoio do governo transformou um canal de entretenimento em veículo de manipulação de massa. A sua bela identidade visual favorece o reconhecimento imediato dos seus programas, a qualidade técnica também contribui para que a recepção do sinal do Sistema Globo seja recebido em praticamente todos os lugares do Brasil. Até mesmo os mais “desligados” conseguem identificar a sua logomarca, que ficou conhecida mundialmente a partir da criação futurista de Hans Donner. Este padrão Globo de imagens foi copiado por muitas emissoras em todo o mundo, o que não é ruim. Mas, se levarmos em consideração que Donner não é brasileiro e que seu trabalho de animação gráfica é praticamente todo copiado dos modelos americanos, não temos muito do que nos orgulhar.

  3. Flávia Giselle Barros nov 17, 2008 à 9:08 am #

    Que a Globo é líder em audiência no Brasil, isso não se discute, e o fato de ter “copiado” o padrão americano de TV, não a torna simples cópia de emissoras americanas, afinal, basear-se em algo positivo para criar um símbolo ou uma maneira interativa de informar não é ruim. A Identidade visual da Globo é atraente e o seu “plim plim” é inesquecível.

  4. Marcela Londe nov 17, 2008 à 9:22 pm #

    A Globo hoje é uma grande potência e se é reconhecida assim deve isso a “cópia” do padrão americano que, aos poucos, foi se modificando e se adaptando a cultura brasileira. Seu símbolo, seguido do inesquecível “plim plim” ficou anexado na memória de quem viu/vê. Mas o que levantou a Rede Globo foi a jogada estratégica de começar conquistando os horários que tinham menos hibope para os outros canais. Logo surgiram as novelas da Rede Globo, que hoje representam grande audiência. Os brasileiros, principalmente a “massa”, gostam A Globo é uma emissora cujo objetivo não está ligado a transmitir cultura mas sim na venda e compra de produtos que gerem lucro/audiência.

  5. Chico Paiva nov 17, 2008 à 10:23 pm #

    A qualidade é um pilar indiscutível para o sucesso. E qualidade a rede Globo tem, admitamos isso. Embora a grade da emissora apresente alguns programas de gosto duvidoso, mesmo assim existe a qualidade técnica. Agora o que devemos discutir é: vale mesmo a pena “vender a alma ao diabo” para se atingir objetivos? Roberto Marinho preferiu pagar pra ver, e o resultado é o império das comunicações que “conhecemos”. Ética é uma forma de postura e um ponto de vista que muitos vezes nem todos concordam, e acaba cada um tendo a sua. Quanto vale passar por cima de tudo e de todos e sufocar as forças menores para se construir uma vitória? Cada um deve analisar e medir até onde sua consciência permite ir e reconhecer a fronteira da imoralidade ética.

  6. andrelsens nov 17, 2008 à 10:44 pm #

    Gostei muito dos comentários pertinentes e consistentes para esse post mais antigo. E espero que venham mais…

  7. Leila Nascimento nov 18, 2008 à 10:52 am #

    Roberto Marinho ao fundar a Rede Globo estava certo do que queria, ser dono de uma emissora que seria a mais popular entre todas, um referencial. Como disse em outro comentário a união Rede Globo e Time-Life, foi uma grande “sacada” de Roberto Marinho, que teve o apoio na hora certa, no lugar certo, no momento certo e apoio das pessoas certas. Como cita no texto de Helena Sousa, a emissora desde que foi fundada sempre obteve os melhores índices de audiência, mas Roberto Marinho, não satisfeito em ter sua emissora apenas no Brasil, a expandiu para outros países, porém, o grande erro cometido se deu ao tentar expandí-la em Portugal, como fez ao comprar a Tele Monte Carlo (TMC), esquecendo-se dos fatores culturais daquele país, levando-o a rejeição da população. Não vejo Roberto Marinho como estrategista, mas sim, como um homem com uma grande visão de “negócios”, uma pessoa ousada. Certamente se ele não tivesse tido a iniciativa, outro certamente a teria tido. A Rede Globo é uma cópia do modelo americano de tv, mas se hoje ela é o que é , isso se deve a grande maioria da sociedade que aceita tudo que vem de fora sem nem ao menos criticar. E é por isso que eu digo que, enquanto essa grande maioria apenas aceitar este “modelo Globo” que nos foi colocado, sempre teremos essa tv deprimente, que hoje já faz parte do nosso dia-a-dia. O bom é saber que muitas pessoas, tem mudado seu conceito em relação a esta dominação da Globo, tem deixado de aceitar tudo e tem buscado novas alternativas, pelo menos espero que seja isso que elas estejam fazendo. Não diria deixar de assistí-la, mas não deixar de tê-la como um referencial para a formação da opinião.

  8. andrelsens nov 18, 2008 à 11:25 am #

    Vale ressaltar que a Rede Globo baseou inicialmente sua estrutura de programação nos moldes americanos. Mas obviamente, como o passar dos anos, as questões culturais foram levadas em conta e hoje (diferente do que aconteceu na TMC e SIC) podemos dizer que a emissora em geral está muito distante dos moldes americanos. O mesmo pode ser aplicado inclusive na identidade visual da emissora e ao projetos gráficos televisivos. Aliás, algumas tendências estéticas audiovisuais foram trazidas inicialmente pela Rede Globo através do Hans Donner, antes mesmo da adoção pelos canais americanos e europeus. Acredito que esse americanização da estrutura televisiva pode ser bem aplicada ao caso do SBT (incluindo seu projeto gráfico), que ainda continua atendendo um público ávido pelo consumo de programas nacionais com formatos trazidos dos EUA e dos demais países latinos, sem contar a grande quantidade de “enlatados”.

  9. Meyre Ellen Lima Silveira nov 18, 2008 à 11:54 am #

    Tudo bem, concordo quando dizem que a Globo não transmite \\\\\\\”cultura\\\\\\\”, que a maioria das programações são fúteis. Mas a Globo só transmite essas coisas porque é o que a massa gosta, mesmo que seja fútil ou até antiético, porque se ela (a massa) não gostasse ela assistiria outro canal com mais conteúdo e se não desse audiência e R$ pra ela (Globo) ela não transmitiria. É só olhar a audiência de um canal de cultura e a audiência da Rede Globo. Se a massa brasileira preferisse cultura com certeza o domingo não seria a tarde inteira com o Domingão do Faustão.
    As pessoas preferem o que é mais cômodo, sentar no sofá no domingo e assistir os famosos dançando, ao invés de pegar um livro e ler. A massa prefere o que já vem \\\\\\\”mastigado\\\\\\\”.
    Concordo com a Osmária quando ela diz que “na natureza nada se cria, tudo se copia\\\\\\\”.
    Quando falo que a Globo copiou \\\\\\\”bem copiado\\\\\\\”, que ela fez bem feito não falo em relação à cultura ou ética, mas em audiência, 1º lugar, atingir o objetivo, ser a melhor emissora de TV do país.
    Com cultura ou sem cultura, com ética ou sem, o alvo dela ela atinge com certeza, se não ela não seria a mais assistida.

  10. Wagner Muniz nov 18, 2008 à 12:24 pm #

    A emissora tem se expandido de forma globalizante, o nome encontrado e usado pela empresa ‘globo’, já diz tudo sobre tais intenções. Desde sua fundação as tranformações mundiais vieram e a levam a investir na consolidação não só de suas finanças, mas de sua identidade, pois a formação de identidade é uma necessidade pra qualquer tipo de emprendorismo, vai do religioso ao adolescente. O que fez a globo qualquer um na história universal pode detectar como uma BOA e PSICO propaganda de seus símbolos identificadores. Visto que ser identificado no mundo em qualquer tempo é uma maneira de manipular e dimencionar seus domínios. A emissora conhece a comunicação e seus meandros que saem do linear ao inconsciente, consegue maninpular e utilizar destes a seu favor em qualquer tempo, e dito no texto, em outras culturas também.

  11. Chirliana Rodrigues nov 18, 2008 à 1:47 pm #

    Confirmar que a Rede Globo só transmite programas de pouca utilidade e sem cultura seria uma afirmação um tanto exagerada. O que ela apresenta é cultura sim senhor! Faz parte da cultura do povo brasileiro, que gosta do que assiste, mesmo que seja um “Faustão da vida”, falando um monte de abobrinhas e cometendo vários assassinatos a língua portuguesa nas tardes de domingo. Fazer o quê? O jeito é tolerar ou mudar de canal. Há outras opções hoje em dia bem mais interessantes.
    O contrato firmando entre a Globo e a Time Life em meados dos anos 60, empresa esta de origem americana, foi a alavanca que garantiu o sucesso da emissora. A Globo cedia o espaço, a Time Life entrou com a tecnologia e capacidade técnica que precisávamos. Não demorou muito para que ela já começasse a exportar produtos culturais, como as telenovelas e radionovelas.
    A Globo sempre agiu de forma muito estratégica, talvez este seja um dos segredos do seu rápido crescimento. O brilhantismo e sucesso da emissora no momento contemporâneo, toda sua manipulação a grande massa (mesmo que isso não agrade a todos), foi fruto de uma luta traçada por Roberto Marinho para que a Globo se tornasse na melhor do mercado brasileiro audiovisual.
    Hoje, é possível ver as suas transmissões praticamente todos os lares, do “Oiapoque e Chuí”, nos pontos mais extremos do nosso país. Essa é a realidade!!! Qualquer cidadão consegue identificá-la, mesmo sem ver, somente ao som do “plim plim”.

  12. Priscila Rodrigues nov 18, 2008 à 1:56 pm #

    A Rede Globo foi construída inspirada no modelo norte-americano, para tanto, seu padrão de qualidade é peculiar e muitos tentam copiar. A emissora cresceu sobre o domínio dos interesses particulares, dos poderes econômico e político desde sua criação até os dias de hoje. Não direi que toda a população brasileira é influenciada pela Rede Globo, mas grande parte dela é refém do conformismo através da sua programação. Roberto Marinho foi um grande empreendedor, soube utilizar técnicas e também aprimorá-las. A ideologia da Globo é produzir com qualidade mesmo que o produto seja mais um besteirol. O que faz a diferença é a forma como ela pauta a sociedade. Se o público quer assistir novela com cenas indecentes, subversivas ou que fazem apologias sobre coisas que ferem a moral e a ética, ela não vai deixar de transmitir pelo simples fato: liderar a audiência e gerar lucratividade – capital e poder ao Império estilo globo de ser.

  13. Gil Pedro nov 18, 2008 à 5:18 pm #

    Que o Brasil é um país onde quase nada se cria, mas tudo se copia, não é novidade. Seja na música, no cinema, e principalmente na televisão, essa falta de criatividade vai se mostrar com nitidez. Principalmente na Rede Globo, onde quase todos os programas de auditório, talk shows, big brothers da vida e outros mais são copiados descaradamente dos americanos. Todo seu aparato tecnológico e modernismo não seria possível se não fosse a união com a Time-Life. Uma das poucas coisas que a Rede Globo faz com originalidade e qualidade (em termos de produção), porém com uma fórmula batida e defasada, são as novelas, com certeza, seu grande carro-chefe. Apesar disso, continua sendo a maior rede de televisão com maior audiência no Brasil que influencia as outras emissoras brasileiras e principalmente a maioria do povo brasileiro, que aceita tudo que é lançado pela telinha da Globo. A Rede Globo, com todo seu poder de manipulação, está longe de perder o reinado, infelizmente.

  14. Cleidinalva Pereira Rosa nov 18, 2008 à 5:44 pm #

    Não há como negar que a rede Globo de Televisão é uma referência nacional como emissora de Tv e de como ela obteve este sucesso enorme graças a ajuda de governantes e claro investimentos pesados do grupo Time-Life.
    Outro fator de peso, foi ela (seus representantes)estar na hora certa, e com as pessoas certas.
    Como vimos em sala de aula, ela (Globo), tentou fazer o mesmo em outros países, Itália e Portugal. Na Itália ela não obteve muito sucesso, acredito eu, porque principalmente não soube harmonizar as culturas locais com seus produtos já ‘enlatados’e levados do Brasil para além mar. Já em Portugal foi diferente, A SIC foi bem sucedida por ter levado em consideração os erros que se teve com a experiência da RAI (tevê estatal italiana).
    È inegável que a Globo embora seja uma emissora que claramente representa os valores das classes dominantes,tem méritos em seu designer de bom gosto e qualidade.

  15. Marcela Londe nov 18, 2008 à 8:57 pm #

    Eu concordo com a Meyre Ellen. A globo realmente foi inteligente em copiar o modelo americano e adaptar ele a cultura brasileira. Hoje o que mais se vê são cópias de coisas do estrangeiro. E pelo que se entende, a cópia é o gosto dos brasileiros porque a Globo vem se tornando mais reconhecida a cada dia.

  16. Lourenço Amodeo Junior nov 18, 2008 à 10:43 pm #

    A visão empresárial de Roberto Marinho foi o que fez com que o sistema adotado (copiado) desse certo aqui no Brasil. Para que ressaltar que uma empresa estrangeira foi o modelo ou responsavél pela a administração da Rede Globo aqui no país se praticamente tudo que possuimos ou desejamos vem de fora, até mesmo o que criamos temos como inspiração o que foi criado pelos outros paises. A Rede Globo soube aproveitar as oportunidades da época e com o jeitinho brasileiro conseguiu crescer perante as outras mesmo infligindo a legalidade mas atingindo seus objetivos. Não concordo com a forma em que a Rede Globo
    conseguiu chegar onde está agora, mas acredito que se ela não estivesse
    onde esta agora outra teria feito algo parecido e se tornado a Rede Globo da vez.

  17. Lourenço Amodeo Junior nov 18, 2008 à 10:51 pm #

    Ao meu ver, os comentários da colega Flávia Giselle Barros completam o que eu havia escrito e pensado. Concordo plenamente que tudo que é bom dee servir de exemplo e se tratando de algo que deu certo em outro país e ainda não foi usado em outro, vale a pena investir e ver o resultado. Observando as oportunidades e as questões legais acredito que só conquistaremos os nossos objetivos se acompanharmos as modernidades e atualizações. Não se pode fechar os olhos para o que je esta avançado e atrazado.

  18. Lidiane Grazielle Gomes de Queiroz nov 18, 2008 à 11:05 pm #

    Bom,como todos sabem, a rede Globo é uma das maiores da América Latina. É uma rede de influencias e que influencia também. A Globo é uma “indicadora” de cultura, se é que podemos dizer assim, o que ela lança na telinha vira moda, e a grande massa passa a fazer, ou seja, ela influencia na cultura brasileira da maneira que ela quer. Sempre pegando modelos europeus e lançando no Brasil, sem sombra de dúvidas de que será aceito e sem questionamentos.

  19. Lidiane Grazielle Gomes de Queiroz nov 18, 2008 à 11:09 pm #

    E concordo com o que a Meiriele diz, o povo brasieliro não valoriza nada vindo do Brasil mesmo, agora é só jogar um programinha americano no ar, ou costumes americanos que todo mundo passa a fazer… valorizam a cultura de fora, mas não percebe que lá, de onde eles tanto copiam coisas, lá eles valorizam o que vem do Brasil, pegando as coisas boas que deveriam ser valorizadas aqui e aplicando lá…

  20. Alene Carvalho nov 19, 2008 à 6:29 am #

    Não se pode negar a importância que uma identidade visual exerce sobre um determinado produto ou serviço. O símbolo da rede Globo é, sem dúvida, criativo, inovador e inesquecível. Não existe quem não saiba de que empresa se trata, olhando para aquele globo repleto de cores e movimento. É um objeto marcante, que chama o público, fazendo com que a influência internacional se tornasse inevitável. Agora, esse símbolo é apenas, como dito antes, a identidade visual da Globo. O que tornou a rede Globo, a mais vista, a mais falada e a mais importante foi uma série de fatores que vão desde as pessoas envolvidas no processo de sua fundação, bem como a ajuda em sua inserção na sociedade, até os produtos que a emissora ofereceu e oferece aos telespectadores. Sem falar, no que todos aqui já sabem, na a influência opinativa que a Globo exerce sobre seus telespectadores, alterando a opinião da sociedade de maneira geral.

  21. Alene Carvalho nov 19, 2008 à 6:38 am #

    Com relação ao comentário da Chirliana Rodrigues, concordo quando ela fala: “A Globo sempre agiu de forma muito estratégica, talvez este seja um dos segredos do seu rápido crescimento”. O fundador da Globo, simplesmente, conheceu, se envolveu e teve ajuda das pessoas certas, na hora certa. Algumas boas idéias iniciais foram a alavanca para o sucesso. O poder que ela exerce já é outra história.

  22. Faine Michetti dez 3, 2008 à 4:25 pm #

    Toda discussão é interessante. Mas se muitos de nós – que temos acesso à informação e somos comunicadores, e ainda, fazemos parte dos que influenciam essa sociedade – não conseguimos “abrir” os olhos pra muita coisa que acontece no nosso país, imagine aquelas pessoas que não possuem ‘certos’ conhecimentos. Discordo totalmente do Chico Paiva. A questão Roberto Marinho e “vender a alma ao diabo” é completamente ilusória. Roberto Marinho teve “apoios”, sejam lá quais foram, e trabalhou muito (com competência e com a ajuda de pessoas competentes) para transformar a Rede Globo neste império que é hoje. É indiscutível a qualidade que a emissora detém em todos os aspectos (jornais, telenovelas, identidade visual, etc.). O problema é que ninguém ‘ataca’ ou pára pra questionar outras emissoras por conta da globo ser primeiríssimo lugar. Não sou simpatizante da emissora e de nenhuma outra, mas acho que tudo é feito com muito trabalho precisa ser reconhecido, assim como ela foi. Por que não há questionamentos acerca dos empreendimentos de Silvio Santos? Alguém conhece um ganhador do ‘Baú da Felicidade’ ou da ‘Telesena’? Vamos deixar para criticar o apresentador/empresário quando a sua emissora estiver no lugar da globo (se um dia conseguir!)? E a Rede Record? Quais foram os ‘meios’ que os levaram a conseguir atingir o grande espaço que estão conseguindo hoje? Como será que financiam tudo isso? Não há exageros na manipulação que existe sob os fiéis da Universal? E a questão do enorme “comércio” que está se transformando as religiões do nosso país? E quanto a ética, será que ela existe mesmo?. Pra muitos que estão começando agora é ‘normal’ sair fazendo o discurso “vamos mudar o mundo!”, mas não é isso que vemos quando este entra na ‘sociedade de hoje’ e é corrompido. E não existe este que não seja. Agora, não vamos criticar somente o Joãozinho simplesmente porque todos assim estão fazendo. Vamos colocar Joãozinho, Maria, José, Francisco, Antônio, Silvio (hihi), enfim, todos na roda.

  23. João Antonio fev 11, 2009 à 9:18 pm #

    A Rede Globo é, indiscutivelmente , o que há de melhor em televisão no Brasil. Quem conhece a história da TV brasileira sabe que grande parte desse sucesso se deve à incompetência de suas concorrentes, entre os inúmeros exemplos podemos citar o fato de as TVs Tupi-Rio e Tupi-São Paulo se tratarem como rivais, tanto que já aconteceu de novelas gravadas pela TV Tupi-São Paulo passarem na TV Rio, concorrente da TV Tupi-Rio que não havia manifestado interesse. O fator sorte também ajudou muito a TV Globo, pois a TV Excelsior tinha uma administração eficiente e trouxe muitas novidades para a TV brasileira quando começou a funcionar ( as demais emissoras trabalhavam de modo amadorístico ), mas foi fechada à força pelo regime militar. Independentemente disso tudo, a Globo é muito competente no que faz e merece estar no patamar que está.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>