Fox apresenta sua nova identidade visual.

Com a marca como ícone de sua imagem e a letra “O” como selo inconfundível do canal, a Fox é o primeiro canal por assinatura que transcende a tela da TV, unindo tela e internet.

A Fox, que desde o seu lançamento se caracteriza por estar na vanguarda em design e comunicação, volta a inovar apresentando a mudança de sua identidade visual e um novo design de todas as suas peças de comunicação.


“A cada dia a interação entre os telespectadores e a tela é maior. Atualmente as pessoas não escolhem apenas o que desejam assistir na TV, já que a internet também se soma a esta equação. Atentos para estas preferências, decidimos traduzir esta mudança a partir do design em forma consistente e transformamos nossa URL “mundofox.com.br” no novo slogan do canal”, comentou Corina Capuano, vice-presidente de criação da Fox Latin American Channels.

Para acompanhar esta mudança de imagem, o departamento de criação in house da Fox Latin American Channels renovou a identidade visual e as peças de comunicação off air. Entre os novos elementos, destaca-se a interação da letra “O”, a marca do canal, com os principais talentos dos programas e séries da Fox, bem como com outros elementos na tela.

Além disso, foi criado uma nova série de ID´s (identificadores de tela) com pessoas que brincam com o “O”, um recurso que confere frescor e espontaneidade ao canal. Também foram incluídas novas cores, entre elas o amarelo, magenta, ciano e verde. A mudança contempla todos os elementos gráficos e de comunicação, tanto dentro como fora da tela: blocos, bumpers, spots, programetes, artes para via pública, banners, web site e papelaria, entre outros.

Matéria da Firstcom Comunicação S. A.

Abertura: Vidas Opostas

Vidas Opostas foi uma novela de sucesso da Rede Record, transmitida em 2006. A história da trama, assim como o próprio nome já deixa claro, mostra os dois lados do Rio Janeiro e as suas gritantes diferenças sociais.

A abertura nada mais que aponta esses dois mundos. Basicamente a vinheta é formada por um jogo de espelhos que reflete situações paradoxais. Ao final, descobre-se que esses espelhos são parte do próprio logotipo da assinatura, que, aliás, apresenta uma duplicação simétrica e espelhada das palavras, de forma a reforçar o conceito da oposição.

Contudo, essa ideia se mostra nada original. Não só pelo fato da abertura se apresentar muito próxima da estética usualmente empregada na Rede Globo (reforçada inclusive pelo contexto carioca), mas também por revelar muitas semelhanças com a apresentação da novela América (2005), também da Rede Globo, que utilizou de conceitos e formas bastante similares para mostrar os dois universos distintos da trama: Miami e Rio de Janeiro.

>>> Ficha Técnica

Ano: 2006

Canal: Rede Record

Produção: Rede Record

Trilha: “Aquarela do Brasil” (de Ari Barroso por Léo Gandelman)

(atualizado em 02/08/2011)

Pílula Televisual: Abertura de Vidas Opostas.

Vidas Opostas foi uma novela de sucesso da Rede Record, transmitida em 2006. A história da trama, assim como o próprio nome já deixa claro, mostra os dois lados do Rio Janeiro e as suas gritantes diferenças sociais. E a abertura nada mais que aponta esses dois mundos. Para isso, são utilizados de um jogo de espelhos tridimensional que reflete essas cenas da realidade carioca com outras situações paradoxais. Ao final descobre-se que esses espelhos são parte do próprio logotipo da assinatura, que também se apropria da duplicação simétrica para reforçar o conceito. Contudo, essa ideia não é nada original. Não só pelo fato de a abertura se apresentar muito próxima da linguagem da Rede Globo (reforçada inclusive pelo ambiente carioca), mas também por revelar muitas semelhanças com a novela América (2005), também da sua concorrente, que empregou de modo muito parecido a marca para mostrar dois universos distintos (no caso Miami e Rio de Janeiro).

Postado por André Luiz Sens

Multishow renova sua identidade visual.

Para festejar mais um aniversário, o Multishow – que comemora 17 anos agora em novembro – estréia seu novo visual. Com a assinatura da equipe de criação da Globosat, entrarão no ar a partir desta quinta-feira, 30, novas vinhetas, padrão de assinatura de chamadas e materiais para internet e mídia impressa.

Segundo Manuel Falcão, gerente de criação, “a nova identidade visual do canal está mais clean, organizada, natural, direta, jovem, alegre e, com certeza, ousada”. Participaram da criação, ainda, os designers Leon Vilhena e Antonio Simas, o animador Robledo Guerra e o coordenador Ricardo Moyano.

As novas vinhetas vão em sentido contrário às que estão atualmente no ar, que abusam de grafismos.  Por isso, agora, o on-air conta com imagens de mundo real, com jovens e elementos do cotidiano. “O visual do canal deve se adequar ainda mais à imagem que o nosso público tem do Multishow. O jovem nos vê como uma janela do mundo real”, afirma Daniela Mignani, gerente de marketing do canal.


Matéria do Meio & Mensagem

Abertura: Pé na Jaca

A vinheta de hoje se refere a abertura de Pé na Jaca, de 2007 da Rede Globo. Para contemplar a fazenda com plantação de jacas que dá início a trama, foi utilizado um divertido, humorado e muito bem executado desenho animado tridimensional nos moldes de cartoon, no qual animais tipicamente rurais dançam ao som de “Eu ando OK” (de Zizi Possi). Mesmo com toque mais abrasileirado, a maneira como essas personagens se apresentam parecem ter saído daqueles famosos trechos musicais das animações da Disney. Na representação da assinatura, diferente do restante da abertura, evidenciou-se de forma mais literal o significado do dito popular que dá nome a novela.

Abertura

Making of

Globoface: a tipografia da Rede Globo.

título globoface

A tipografia, desde o início da televisão, teve uma grande relevância, não menor se comparada a projetos impressos.  O que ocorre é que, assim como novas mídias, outros aspectos estéticos, cognitivos e ergonômicos tiveram que ser atentados. Mas foi através da Rede Globo que a tipografia alcançou uma importância ainda maior. Ela serviu como um dos elementos fundamentais da identidade visual, tanto na formação de uma logotipia para marca, como na confecção de um alfabeto para a maioria dos elementos textuais presentes nas transmissões da emissora.

Microgramma Bold Extended

Essa valorização á tipografia partiu desde o projeto gráfico desenvolvido por Borjalo, ainda na era sem cores da televisão, . Em toda a programação, a fonte Microgramma Bold Extended (muito similar a Eurostile MN Extended Bold), que estava presente também no logotipo da marca com os globos terrestres estilizados, era soberana nos créditos das aberturas de programas, nas vinhetas institucionais e na apresentação das chamadas. As cores das letras variavam entre o preto e o branco (mesmo com a introdução dos televisores em cores). Além disso, a composição dos letterings geralmente apresentava uma justificação centralizada ou alguma integração com as imagens, utilizando-se como referência as aberturas de filmes internacionais.

Aplicações da antiga fonte da Globo.

Com a chegada de Hans Donner e a reformulação da identidade visual, a fonte Microgramma foi substituída por uma outra fonte moderna, sem serifa, mas com cantos e terminações mais arredondados. A primeira novela a inaugurar esse novo padrão tipográfico foi a novela Anjo Mau, de 1976. Essa fonte se aproximava da Frankfurter Medium, mas com algumas diferenças formais e problemas de resolução e kerning, provavelmente ocasionadas pelos primeiros GCs, equipamentos geradores de caracteres, em susbtituição a técnica de luma key com os antigos cartões em preto e branco. O entusiasta Igor C. Barros fez a reprodução dessa fonte, denominando-a de Rede Rounded, disponibilizada também em seu blog Salt Cover.

Créditos Anjo Mau (1976)

Depois de algum tempo e com a melhoria tecnológica para a exibição dos créditos, a fonte que acabou sendo adotada foi a VAG Rounded (principalmente na versão bold). Mesmo com seu vasto portifólio tipográfico, incluindo a própria fonte que compõe o logotipo da marca, Hans Donner não foi o autor dessa letra. Ela foi desenvolvida pela empresa automobilística Volkswagen AG (daí o nome) em 1979 para a sua identidade corporativa. O seu aspecto formal propiciava uma clara associação ao elemento esférico do símbolo gráfico, além do atributo moderno da própria logotipia, mais robusta, mas que nitidamente não funcionava para textos extensos ou palavras menores.

VAG Rounded Bold

A consolidação da inovadora linguagem visual de Hans Donner e a presença constante dessa tipografia em programas e chamadas elevaram-na a condição de oficial, sendo portanto denominada de Globoface. Ela passou inclusive a ser utilizada não só no vídeo, mas também na identidade interna da empresa, como sinalização, material impresso, transporte, equipamentos, entre outros.

Aplicação da Globoface.

Com o passar dos anos e com o aperfeiçoamentos dos softwares gráficos, a Globoface contou com mais cores, efeitos, texturas, degradês, além, é claro, da tridimensionalidade, que possibilitaram linguagens diferenciadas, sem eliminar uma unidade tipográfica. Esses recursos se tornaram importantes, prinicipalmente no caso das chamadas que necessitavam diferenciar-se umas das outras para melhor distinção dos programas.

Globoface em chamadas comerciais.

No entanto, ao contrário das chamadas comerciais, as aberturas, principalmente de novelas, sempre continuaram mantendo a mesma tipografia e formas similares de apresentá-las durante os anos. Salvo algumas exceções pontuais, os letterings são usualmente em branco, nos cantos da tela, com sombras para conferir maior legibilidade e com restrito ou nenhum trabalho de animação. Embora represente um certo descaso com o conceito de empregar um tratamento tipográfico diferenciado como um incremento informacional na composição da linguagem da vinheta, essa característica acabou servindo como uma espécie de assinatura da emissora em suas produções.

Globoface em concorrentes.

Esse diferencial revelou-se ainda como uma estratégia comercial que confirma às seus produtos, assim como qualquer selo de inspeção e aprovação de um produto, o famoso “padrão Globo de qualidade”. Tanto é, que outras emissoras como a Rede TV e a Rede Record adorataram essa tipografia em suas grades de programação. Em alguns casos, de forma muito parecida. Talvez com o intuito de se aproximarem dessa tal qualidade estabelecida pela Rede Globo.

>>> Postado por André Luiz Sens

>>> Contribuições: Igor C. Barros

Bastidores da abertura de Negócio da China.

Depois de conferirem todos os detalhes sobre a abertura de Negócio da China, veja agora uma matéria do Video Show que trouxe todos os detalhes do seu making of, que além de contar com uma superprodução, teve a participação ilustre de Ney Matogrosso.

Postado por André Luiz Sens

RBS TV lança sua nova marca.

A RBS TV, a afiliada da Rede Globo nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, estreou hoje sua nova identidade visual. Com intuito de acompanhar a evolução da televisão e se aproximar mais uma vez de sua emissora nacional, a RBS solicitou mais uma vez o trabalho do designer Hans Donner para renovar sua marca.

Símbolos atuais da Rede Globo e RBS TV.

Em 1979, com a compra da TV Catarinense, a TV Gaúcha passou a se chamar RBS TV (Rede Brasil Sul de Televisão) e , portanto, precisava de uma nova marca. Donner então aproveitou alguns elementos que formavam a marca gráfica da TV Gaúcha e agregou características formais e cromáticas que se aproximavam mais com a Rede Globo. Foi então que o olho ganhou uma estilização ainda maior transformando-se em um disco com um orifício central. Posteriormente, esse disco foi finalmente transformado em um globo e, com o passar do anos, pequenas intervenções foram realizadas.

Evolução da marca

Mas esse ano, o designer, assim como fez na Rede Globo, procurou trazer mudanças mais profundas, acompanhando essa estética contemporânea oriunda da internet, sem deixar, é claro, de fazer a tradicional vínculo semântico com padrão nacional.  Foram empregados, inclusive materiais, iluminação e texturas similares a marca renovada da Rede Globo, também inaugurada esse ano. Mesmo com tantas similaridades, uma das transformações mais marcantes certamente é a logotipia, que agora recebe letras minúsculas, ao contrário do robusto lettering anterior, que acabou trazendo uma hamonia maior com o próprio símbolo e se adequando ainda mais a essa nova linguagem.

Confira também a entrevista na RBS TV com Hans Donner, falando sobre a nova marca.

Evolução das vinhetas da RBS TV.

Vinheta RBS TV 2008.

Postado por André Luiz Sens