Evolução: Identidade Visual SBT

título evolução design sbt

Baseado nos moldes americanos, em 1976 nascia o TV Studios, o canal de televisão  do apresentador Silvio Santos que mais tarde se tornaria o Sistema Brasileiro de Televisão. Apresentando uma programação popular, recheada de produções enlatadas, a emissora formou ao longo de sua história uma identidade visual que retratava bem essa realidade.

O TV Studios, ou simplesmente TVS, iniciou suas transmissões pelo canal 11, trazendo basicamente filmes e desenhos importados, principalmente dos Estados Unidos. Mas não foram somente os programas que vinha de fora. Boa parte de sua programação visual foi integralmente baseada na WPIX, canal americano de filmes e séries.

Em uma das vinhetas interprogramas de 1976, a TVS optou por utilizar uma reprodução da abertura da faixa de filmes das 20 horas da emissora americana. Contudo, na versão brasileira, a TVS anunciava nos intervalos a próxima atração contendo ao fundo três cilindros formados pelas palavras-chaves com as classes de programas principais de sua programação: shows, filmes e novelas.

Outra influência da WPIX estava relacionada com o primeiro símbolo da TVS que consistia em duas barras paralelas dentro de um círculo. O que diferia da versão internacional era que as barras do símbolo da TVS eram levemente diagonais. Contudo, ambas tinham o intuito de representar coincidentemente o número dos seus respectivos canais (11, no caso).

No início da década de 80, iniciou-se a adoção do termo “SBT” ou “Sistema Brasileiro de Televisão” para designar a rede formada pelos diversos canais afiliados espalhados pelo país. No decorrer desse período, portanto, as duas nomenclaturas eram utilizadas e a mesma linguagem visual para ambas. E isso trazia certa confusão de identidade. Mas no final dos anos 80, esse problema acabou  com a extinção do nome “TVS”.

evolução marca sbt

Enquanto isso, a marca e as vinhetas foram se renovando. E para isso, espelhando-se nos modernos projetos gráficos de sua concorrente Rede Globo, o SBT/TVS buscou outra referência norte-americana que tinha uma linguagem estética moderna semelhante, mas menos abstrata, com um maior apelo popular: o canal ABC.

A similaridade das vinhetas institucionais se estendeu também para a marca do SBT, que baseou-se quase que totalmente na marca do ABC, incluindo até a tipografia da logotipia  (igualmente constituída por três letras, contribuindo para a similaridade). E assim como o ABC, a marca do SBT tinha duas versões. Uma era monocromática composta por uma circunferência espessa com o logotipo SBT em seu centro. A outra era formada por cilindros coloridos formando um círculo que a apoiava o mesmo logotipo centralmente sobre ela.Essas duas versões semelhantes se alternavam na programação de forma aleatória, sem um critério claro, assim como as texturas, dimensões dos elementos e cores aplicados sobre elas. Isso combinava (e combina até hoje) com a instabilidade da programação que mudava de acordo com as oscilações da audiência e estratégias comerciais diferenciadas e inconstantes.

Nessa época, o TVS Canal 4 (ou SBT) apresentava ainda algumas vinhetas que demonstravam esse estilo gráfico confuso e nenhum pouco original. Em duas delas, inspirada claramente em uma vinheta da HBO, a marca apresentava-se prateada em meio a uma exagerada profusão de efeitos e luzes que pareciam sair de um filme de ficção científica, além de uma trilha sonora imponente.

Em outra, um pouco mais minimalista, trazia alguns prismas tridimensionais e cilindros coloridos flutuantes lembrando alguns institucionais da Rede Globo e da ABC.

No início da década de 90, agora somente denominada de SBT, a marca dos cilindros coloridos foi a mais empregada nas vinhetas, recebendo mais detalhes e nitidez com o progresso da computação gráfica. Mas em 1996, nos seus 15 anos, o canal voltou a seguir os passos da ABC, substituindo assim os cilindros por um disco metalizado com reflexos multicoloridos e que continuam sendo usados até hoje. No entanto, no caso da ABC, foi adotada uma versão totalmente negra do disco. Mesmo assim, o SBT não deixou de aproveitá-la em algumas ocasiões, como nas aberturas do SBT Brasil e do SBT Notícias (que, por sinal, também foram copiadas dos jornais mais populares da ABC).

marca sbt

Outra emissoras que serviram de “inspiração” para as vinhetas do SBT nesse período foram a NBC e a CBS.  Muito semelhantes aos dos respectivos canais, as vinhetas do SBT destacavam cenas de programas e artistas da casa com jingles empolgantes e slogans marcantes. “Quem Procura Acha Aqui” (1989), “Aqui Tem” (1992), “Se liga no SBT” (1993), “A cara do Brasil” (1998) e “Na nossa frente só você (2000)” são alguns deles.

Após o ano 2000, o SBT começou a apresentar algumas propostas um pouco mais originais, ainda a partir de sua linguagem visual mais popular (considerada até brega por alguns), com representações mais icônicas. Em várias situações inusitadas e até surreais, a marca aparece construída por robôs, formada em fábricas metalúrgicas, exposta como um luminoso gigante no meio de uma cidade, carregada em helicópteros de guerra sobre uma cachoeira ou magicamente trazida por uma mulher sobre uma ponte de vidro no meio de uma floresta.

Intercalando com todas essas “viagens”, outras vinhetas, como de costume, continuam apresentando os apresentadores, atores, entre outros artistas. No entanto, esses artistas deram espaço também para aqueles funcionários que ficam atrás das câmeras, além do grandioso complexo Anhanguera.  São agregados ainda aos vídeos, videografismos tridimensionais no melhor estilo “hi-tech”. Tudo isso com um objetivo claro: enaltecer de forma mais direta a estrutura e as capacidades técnicas e profissionais do SBT para um público telespectador menos elitizado, que se identificam com o perfil do carismático Silvio Santos e adoram consumir as mais recentes novidades enlatadas trazidas por ele, não só dos Estados Unidos, mas como de toda a América Latina.

>>> Postado por André Luiz Sens

>>> Contribuições: Tele História, Televisionado e o Baú do Silvio

(atualizado em 19.08.2010)

Chamadas da novela Negócio da China.

Depois da “overdose” da cultura chinesa proporcionada pelos jogos olímpicos de Pequim, a Rede Globo já começa a veicular em sua programação as chamadas da próxima novela da seis Negócios da China, que promete trazer mais um pouco dessa temática. E isso é evidenciado no divertido conceito do comercial, que tenta simular o que seria a mesma chamada em um televisão chinesa, que inclui até uma legenda em chinês e uma intérprete de surdo-mudo em trajes orientais.

Além do vídeo tradicional, a campanha inclui as chamadas surpresas inseridas nos créditos finais das três novelas, estratégia que começou a partir da novela Três Irmãs. Nelas, pequenas e carismáticas personagens, como um ninja e uma chinesa típica (com uma linguagem baseada no Toy Art, movimento da moda atual e também iniciado na China), invadem a tela para soar um gongo e anunciar a data de estréia da novela.

Postado por André Luiz Sens.

Abertura de Mad Men ganha o Emmy Awards 2008.

O Emmy Awards, o Oscar da televisão norte-americana já divulgou os vencedores de suas categrias técnicas. E Mad Men, do canal AMC e transmitido no Brasil pela HBO, ganhou o prêmio como melhor abertura (Outstanding Main Title Design).

Dos produtores de Os Sopranos, Mad Men se passa em Nova York e tem como temática principal o mundo da publicidade na sociedade e cultura americanas da década de 60, destacando aprincipalmente as campanhas de cigarros e bebidas, o sexismo e o racismo.

Já abertura foi criada pela produtora Imaginary Forces e traz claras referências aos trabalhos do designer Saul Bass, como a abertura repleta de prédios North by Northwest (1959), de Alfred Hitchcock, e o cartaz do filme de Vertigo (1958). Nela, um homem de negócios formado apenas por uma silhueta monocromática se encontra em queda livre entre grandes arranha-céus, além de pôsteres e outdoors de campanhas publicitárias da época. Ao final, o mesmo homem aparece em uma confortável poltrona, como um verdadeiro “poderoso chefão”.

Saul Bass foi também referência de uma produção brasileira recente, a novela A Favorita da Rede Globo, no qual podem ser encontradas semelhanças, desde a linguagem visual até mesmo a trilha sonora.

Confira também as séries concorrentes de Mad Men na mesma categoria: “Chuck” (Imaginary Forces), “Bernard And Doris” (yu+Co), “New Amsterdam” (Pure NY) e “The Company” (Digital Chicken).

Segue abaixo a abertura de Mad Men e de sua principal inspiração:

Abertura Mad Men

Abertura de North by Northwest ( 1959 )

Postado por André Luiz Sens

(Graças ao Brainstorm #9 e Motionographer)

Abrindo a Novela: Três Irmãs.

Estreiou ontem a nova novela das sete da Rede Globo: Três Irmãs. A história central é formada a partir de três irmãs com personalidades e histórias diferentes vivendo em uma praia paradisíaca onde o surfe é a principal atividade e um dos temas mais presentes na trama.

E todo o ritual que envolve o esporte é mostrado em sua abertura. Apenas com um grande diferencial, comparado a outros vídeos do gênero: os protagonistas do vídeo não são os surfistas, mas sim o seu principal instrumento para realização da atividade: as pranchas. Tanto é que esses objetos ganham vida, através da animação das variadas estampas coloridas que as envolvem, como os tradicionais hibiscos e as composições geométricas. Além dos grafismos, as imagens das belas três irmãs se intercalam também como reflexos sobre as pranchas, para reforçar o motivo do título.

As pranchas voltam mais uma vez na assinatura gráfica final, com intuito de simbolizar as personagens principais que dão nome ao título, ao mesmo tempo reforçar a idéia central da abertura e o conceito da própria novela. No entanto, a associação do trio protagonista com as três pranchas pareceu um pouco deslocada, tendo em vista que só uma delas realmente surfa ou tem uma relação direta com o esporte.

Mesmo assim, ao som de uma adaptação abrasileirada de Don’t Worry Be Happy” cantada por Mart’nália, nos é sugerido que relaxemos, enquanto que as cenas se desenrolam em ritmo, lento, calmo e leve. Tudo com muito sol, paisagens e pessoas bonitas, enaltecendo bem o espírito e os pontos fortes da novela.

Postado por André Luiz Sens

Abertura: Beleza Pura


Aproveitando o término da novela Beleza Pura da Rede Globo, seria interessante comentar um pouco de sua abertura que tratou principalmente dos mais variados tratamentos estéticos e procedimentos de embelezamento que proporcionam as mulheres tornarem-se cada vez mais sensuais, fortes e poderosas. Nela, pôde ser notado influências do filme “Beleza Americana”, com a tradicional cenas das pétalas, além dos vários comerciais de produtos e serviços de beleza e cosméticos.

Um dos recursos mais explorados na vinheta foi a composição cromática, como o contraste negativo-positivo. Sobre a modelo negra, foram usadas peças e líquidos brancos, enquanto que o oposto ocorria com a modelo branca. O outro ponto foi o uso do vermelho, encontrado no batom, nas roupas, nos acessórios e nas próprias pétalas de rosas, em meio a um cenário completamente alvo e sem detalhes.

Enquanto que a cor do cenário transmitia limpeza e suavidade, o vermelho proporcionava sensualidade e imponência. Todas essas qualidades do vermelho eram ressaltadas também pelos gestos, posturas e movimentos das mulheres que pareciam ter saido de uma campanha de xampu ou tinta para o cabelo.

Detalhe também para a escolha das modelos, no qual procurou-se privilegiar todas as raças, mostrando que a beleza não está restrita a um só padrão.

>>> Ficha Técnica

Ano: 2008

Canal: Rede Globo

Produção: Hans Donner

Som: “Beleza Pura”, por Skank

>>> Postado por André Luiz Sens

>>> Dedicado a @isadorabp

(atualizado em 21.10.2010)

Abertura: Roda de Fogo.

Em 1986 estreou na Rede Globo a novela Roda de Fogo (completamente diferente da versão da TV Tupi de 1978). A primeira vista, o nome da trama nem a abertura pareciam não ter uma relação direta com a novela. Mas após uma análise mais apurada, a novela discutia, através de temas como a corrupção e a busca pelo poder, a questão que ás vezes se corre altos riscos para conseguir o que se quer. E assim como a atração circense de mesmo nome, as letras que formavam a assinatura da novela se transformavam em rodas de fogo estilizadas pelas quais animais e o próprio homem a ultrapassavam. Porém havia um detalhe peculiar na transição pela roda que agregava muito mais simbolismo  à abertura Enquanto que os bichos “descongelavam” e ganhavam movimento e vida ao passar pelas chamas, o contrário acontecia com o ser humano.  Isso servia para demostrar como a frieza ou dureza podem dominar o homem para conseguir superar obstáculos e atingir os seus objetivos.

>>> Ficha Técnica

Ano: 1986

Canal: Rede Globo

Produção: Hans Donner e Videographics

Som:  “Pra Começar”, por Marina Lima

>>> Postado por André Luiz Sens

(atualizado em 13.05.2010)

Bastidores da chamada de Três Irmãs.

Acompanhe os os bastidores da chamada teaser de Três Irmãs da Rede Globo. O que mais chama atenção é a prancha não cenográfica de 12 metros de altura criada pelo shaper Italo Marcelo especialmente para a novela.

Reportagem do Vídeo Show sobre os bastidores da chamada.

Detalhes da construção da prancha.

Postado por André Luiz Sens

Abertura: Tieta

Inspirada do romance “Tieta do Agreste” de Jorge Amado, a novela Tieta, exibida em 1989 pela Rede Globo, apresentava como trama principal a vida da personagem Tieta na cidade fictícia de Santana do Agreste, localizada no Nordeste brasileiro. A história inciava com ela ainda nova (Claudia Ohana), quando era humilhada e abandonada pela família conservadora, o que culminou com sua partida para São Paulo. Vinte e cinco anos depois, Tieta (Betty Faria) reaparece rica, bonita, bem-sucedida e disposta a se vingar das pessoas que a maltrataram.

Continue Lendo